28/09/2008


Pobres miseráveis desnudos, onde quer que estejam!Que aguardam o golpe dessa impiedosa tormenta! Como suas cabeças desabrigadas, seus ventres vazios, seus rotos e imundos farrapos poderão protegê-los de intempéries como estas? Toma este remédio, oh pompa inútil! E tu, que possas sentir o que os miseráveis sentem, para que o supérfluo de tua dor se espalhe entre eles e mostre bem clara a justiça dos céus!
"Rei Lear" III, 4, 28-26 William Shakespeare
(1564-1616)
acesse: www.dominiopublico.gov.br/pesquisa, para ler o texto completo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário