04/02/2009

Hilda Hilst /Zeca Baleiro, preparação para gravação do poema "Júbilo Memória Noviciado da Paixão" CD gravado pelo compositor maranhense

Amada vida, minha morte demora.

Dizer que coisa ao homem,

propor que viagem? Reis, ministros

e todos vós, políticos,

que palavra além de ouro e treva

fica em vossos ouvidos?

Além de vossa RAPACIDADE

o que sabeis da alma dos homens?

Ouro, conquista, lucro, logro

e os nossos ossos

e o sangue das gentes

e a vida dos homens

entre os vossos dentes.



"Poema aos homens do nosso tempo" - Hilda Hilst, poeta, ensaísta, dramaturga, nasceu em Jaú(SP) em 21 de abril de 1930 e faleceu no dia 04 de fevereiro de 2004.

2 comentários:

  1. Você é muito gentil Zezé, fiquei feliz com sua visita, volte sempre! Um abraço

    ResponderExcluir