27/06/2009

"O Cão sem Plumas"


Aquele rio era como

um cão sem plumas.

Nada sabia da chuva azul,

da fonte cor-de-rosa,

da água do copo d'água

da água do cântaro,

dos peixes do cântaro,

dos peixes de água

da brisa da água.

Sabia dos caranguejos,

de lodo e ferrugem.

Sabia da lama

como de uma mucosa.



João Cabral de Melo Neto (1920-1999)

4 comentários:

  1. Agradecida fico eu pela tua visita!

    ResponderExcluir
  2. Como sempre... boas coisas você nos trás.
    A foto é impressionante, o rio parece petrificado. Gostei.
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Rsrs, vi sim, Cirandeira! Deixei um comentário no seu blog, por isso mesmo, explicando que eu havia editado um post antigo ("ACALANTO AO PESCADOR"), anexado outra música do nóbrega, "CHEGANÇA", e um vídeo da mesma! Achei que iria gostar... Afinal, já havia comentado sobre aquela letra, e é fã deste mestre popular! Visse? Rsrsrs! bj, Tau!

    ResponderExcluir