13/12/2009

Ode à cebola














Cebola
Luminosa redoma
pétala a pétala
cresceu a tua formosura
escamas de cristal te
acrescentaram
e no segredo da terra escura
se foi arredondando o teu ventre de orvalho.


Sob a terra
foi o milagre
e quando apareceu
o teu rude caule verde
e nasceram as tuas folhas como espadas
na horta,
a terra acumulou o seu poderio
mostrando a tua nua transparência
e como em Afrodite o mar remoto
duplicou a magnólia,
levantando os seus seios,
a terra
assim te fez
cebola
clara como um planeta
a reluzir,
constelação constante,
redonda rosa de água
sobre
a mesa das gentes pobres.
Generosa
desfazes o teu globo de frescura
na consumação fervente da frigideira
e os estilhaços de cristal
no calor inflamado do azeite
transformam-se em frisadas plumas de ouro
Também recordarei como fecunda
a tua influência, no amor, na salada
e parece que o céu contribui
dando-te fina forma de granizo
a celebrar tua claridade picada
sobre os hemisférios de um tomate,
mas ao alcance das mãos do povo
regada com azeite
polvilhada
com um pouco de sal
matas a fome
do jornaleiro no seu duro caminho,
estrada das palavras,
fada madrinha
envolvida em delicado
papel, sais do chão
eterna, intacta, pura
como semente de um astro
e ao cortar-te a faca na cozinha
sobe a única
lágrima sem penas.
Fizeste-nos chorar sem nos afligir.
Eu tudo o que existe celebrei, cebola
Mas para mim és mais formosa que uma ave
de penas radiosas,
és para os meus olhos
globo celeste, taça de platina,
baile imóvel
de nívea anêmona
e vive a fragrância da terra
na tua natureza cristalina.


Pablo Neruda (1904-1973)

5 comentários:

  1. Salve!
    Muito obrigada pela visita e por seu comentário. Hoje a conexão está dando uma colher de chá, , estou conseguindo abrir alguns blogs menos carregado e deixar o meu profundo agradecimento - é muito bom poder contar com você. Aos pouquinhos eu vou dando conta de tantos amigos, de tantos comentários e de tantas leituras interessantes que aparece. Divulgar esse imenso país com suas belezas naturais e multiplicidades culturais é a minha verdadeira intenção, afinal ninguém pode amar aquilo que não conhece, não é verdade ? Eu me apaixonei pelo Brasil aos 12 anos de idade quando li Ariano Suassuna em "O Auto da Compadecida" - Chicó foi o meu primeiro amor..Penso que falta ao povo brasileiro é esse sentimento de pertencimento, de vontade de preservar o seu espaço lutando por um mundo cada vez melhor. Vemos tantas coisas na TV, escandalos de dinheiro em cueca, em bolsas, em malas e até na meia. Se essa raça de políticos amassem o Brasil e seu povo, isso não aconteceria. Com certeza que não. Porque eles só estão pensando neles próprios, dane-se quem vem atrás : farinha pouca, meu pirão primeiro, é o pensamento de quem não tem esse sentimento de pertencimento por uma nação tão linda, tão especial. Sim, porque aqui ainda é o melhor lugar para se morar. Por isso faço questão de divulgar a nossa cultura, o nosso povo, quem sabe um dia a ficha cai...Pode até ser uma ideologia, mas acredito que o melhor caminho seja a educação, o conhecimento.
    Só sei que a coisa me parece estar dando certo, porque até já andei conhecendo alguns blogs iguais aos meus, a cópia é tão grande que até o layout e o corpo de letras são iguais - assim ninguém merece...
    Que a Paz e o Bem estejam sempre com você e mais uma vez muito obrigada pelo seu carinho para com o meu trabalho.
    Um grande abraço,
    Silvana Nunes.'.
    Saudações Florestais !
    FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER...
    http://www.silnunesprof.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Estou arrebatada!
    Quanta sensibilidade!Os olhos do meu coraçãõ nõa a verão da mesma maneira.

    Bjs!

    ResponderExcluir
  3. Também não conhecia esta Ode à Cebola, Cirandeira. E olha que eu tenho vários livros de Neruda. Deveríamos mesmo celebrar todos os dons e dádivas da natureza. Adorei.

    beijo!

    ResponderExcluir
  4. Oláááá!!
    QUe coincidência danada!! Tem uns dias que estou pensando seriamente em fazer uma pintura de uma mesa farta, com frutas, uma taça e uma garrafa de vinho e ontem mesmo estive pensando seriamente em colocar umas cebolas na cena!!! E aí venho pra cá e qual é o assunto? Cebolas... rss
    Muito bem escolhida a poesia!
    Bjão!

    ResponderExcluir
  5. muy bueno tu escrito. la cebolla... también inspira, si todo es poesía.
    abrazos

    ResponderExcluir