07/08/2010



Há alguma coisa aqui que me dá medo; quando descobrir o que me assusta, saberei também o que amo aqui. O medo sempre me guiou para o que eu quero; e, porque eu quero, temo. Muitas vezes foi o medo quem me tomou pela mão e me levou. O medo me leva ao perigo. E tudo o que eu amo é arriscado.



Clarice Lispector

10 comentários:

  1. Grande Clarice! Na escuridão acendem-se as luzes de dentro...

    Bjs, amiga, bom fim de semana, e inté!

    ResponderExcluir
  2. Ar-risco a-risco amar-as amor-se em cordas... :)

    ResponderExcluir
  3. Que lindo!, Francisco.
    AMEI!!!
    Obrigada, poeta!

    ResponderExcluir
  4. Adorei a tela!!! Adorei as cores e o movimento. Parece uma barriga respirando um feto colorido.

    ResponderExcluir
  5. mucho vértigo en este post.
    un abrazo

    ResponderExcluir
  6. Lembro do poeta espanhol Fernando de Herrera, que escreveu:
    Osé y temí; mas pudo la osadía.

    ResponderExcluir
  7. Temos que tentar...SEMPRE!!!
    Ainda não conheço Fernando de Herrera, mas já
    começo a gostar dele. Gracias pela citação.

    Um abraço

    ResponderExcluir
  8. Muito legal, Cirandeira, gostei do Blog. Vou pegar emprestado o "Não deixe que a pobreza se tranforme em paisagem."

    ResponderExcluir
  9. Que ótimo teres gostado, Carlos. Acho legal
    que tenhas pego (ou pegado?) emprestado essa frase. Também tomei emprestado, rrrsss !!!!

    ResponderExcluir