23/08/2010

Preciosidades...!

Encontrei essa hilariante preciosidade ao folhear uma "Careta", de 1981! É uma pena que essa revista não exista mais, assim como "O Pasquim", "Opinião", enfim. Não pude resisitir ao "Analista de Bagé" , (de Luís Fernando Veríssimo), recebendo em seu consultório o megalômano de Passo Fundo. Confiram. E divirtam-se ...



- Te deita no divã, tche.

- Não deito.

- Te deita.

- Não deito.

- Por que não?

- Por duas razões. Uma é que só quem manda em mim é meu pai, que já está na Grande Invernada do céu, capando anjo pra encher linguiça. A outra é que o analista aqui sou eu.

E com isto o analista de Bagé fez o outro deitar no divã com um peitaço e o segurou sobre o pelego com um joelho na omoplata.

- Qual é o teu problema?

- Não digo pra qualquer um.

- Fala ou te arranco esse bigode!

- As pessoas dizem que eu tenho mania de ser melhor que todo mundo. Mas eu não acredito nelas.

- Por quê?

- Porque é tudo gente inferior!

O analista de Bagé saiu de cima do paciente e sentou no seu banquinho. Mas manteve o facão bem à vista para evitar complicação. O outro disse:

- Sou um megalomaníaco

- Não é - disse o analista de Bagé. Sabia que era verdade, mas não tolerava fanfarronice.

- Quer saber mais do que eu?

- Sei mais do que tu, tua mãe e teu pai se fosse conhecido.

- Ah é?

- É.

O megalômano de Passo Fundo ficou de pé em cima do divã e apontou um dedo para o analista de Bagé.

- Posso te transformar em pedra!

O analista de Bagé se ergueu com um salto, chutou o banquinho para longe e abriu a camisa, expondo o peito.

- Pois transforma!

Mas o outro ergueu a mão num sinal de paz e entoou:

- Eu te perdoo.

Aí o analista de Bagé avançou.

A Lindaura (a recepcionista) tinha instruções sobre o que fazer de acordo com os sons que viessem do consultório. "Grito: te prepara; gemido de mulher: vai pra casa; mobília quebrada: entra". Decidiu entrar. Encontrou o megalômano de Passo Fundo estendido no chão debaixo do divã virado e com metade do bigode. O analista de Bagé explicou que não se contivera quando ouvira o outro declarar:

- Sou o maior megalomaníaco do mundo!

Doença era uma coisa, mas convencimento era outra.

6 comentários:

  1. Esse "analista", tinha umas "sessões de análise" da pesada mesmo! kkkkk
    Sinto falta disso, hj em dia não se vê mais quase nada de interessante nesta mídia que está
    por aí....

    ResponderExcluir
  2. O veríssimo tem mesmo um humor e tanto :)

    ResponderExcluir
  3. lástima no entender tu idioma, bueno! seguire visitándote.
    un abrazo

    ResponderExcluir
  4. OI!
    Que saudades desse bom humor!
    Beijos!

    p.s:Adorei as referências a Guimarães no topo do blog!

    ResponderExcluir