27/09/2012

Dor


 
 



Passa-se um dia e outro dia
  À espera que passe a Dor,
  E a Dor não passa, e porfia,
  Porque trás dia, outro dia
Que traz Dor inda maior;
  Porque embora a Dor aflita
  Calasse há muito seus ais,
  Ainda, fundo, palpita
  Uma outra Dor que não grita:
  A Dor do que não dói mais
.
 
Francisco Bugalho, Dispersos e Inéditos -   Portugal - 1905-1949

4 comentários:

  1. A saudade da Dor mata...
    No fundo, todo mundo quer uma Dor para chamar de sua!
    abraço

    ResponderExcluir
  2. A dor que não dói é dor silenciosa...

    Beijos,

    ResponderExcluir
  3. Dor muda vem com auto falantes, auto degradantes, auto mutilantes...

    beijoss

    ResponderExcluir
  4. as dores que doiem e as que não doiem
    silenciosas?

    no fim a minha dor doí mais do que a dor dos outros

    beijo

    ResponderExcluir