14/09/2014

Opalescência


 

 

A primeira palavra passou rápido pela cabeça: estava oca. Depois surgiu o vazio, o branco, o nada. Pensou então ser o fim! Mas era apenas o começo de uma dispersão de letras soltas, avulsas, espiando, como que esperando por algo ou alguém. E repentinamente, como pássaros que saem em revoada no fim do dia à procura do ninho, espalharam-se pelo ar.
 Um fino e transparente cordão flutua no espaço a acenar-lhes, chamando-as para dar-lhes abrigo.
 
O vento é forte e as palavras voam sem rumo certo; talvez estejam perdidas, sem identidade e desvalorizadas vagueiam em busca de novos ninhos...

Um comentário:

  1. ENTONCES POR ESO ES MEJOR DECISIÓN ESCRIBIRLAS. EXCELENTE TEXTO.
    UN ABRAZO

    ResponderExcluir