04/12/2014

Sísifo & Tédio

Sísifo, de Max Klinger, 1914

 
 
o tempo flui na fruiçãodos dias não vividos; corpo e mente separados
no templo do (des)prazer, o eterno ir-e-vir de Sísifo ou a maldição sobre o acorrentado Prometeu por ousar ser Homem?
 
sexo drogas e pedras muitas pedras rolando no templo do homem-máquina:
o robô-pássaro emite mensagens de última geração em nuvens de paixão cibernética - faz-se e desfaz-se do amor na velocidade da luz;
na velocidade da luz mergulha  no obscurantismo das ideias
 
Sísifo e o Tédio -
quem será engolido por quem?
O Homem criou uma máquina à sua imagem e semelhança
qual dos dois sobreviverá?

4 comentários:

  1. MUY CERTÍSIMA REFLEXIÓN.
    UN ABRAZO

    ResponderExcluir
  2. Com certeza não será o homem se não fizer uma revolução de ideias, de mentalidades, colocando como prioridades a natureza e a humanidade. As máquinas foram e são necessárias para melhor servir o homem , mas o que está a acontecer é que ele está completamente dominado por elas e já não sabe conviver com os seus semelhantes, os outros homens.Aqui em Portugal a pobreza material está em destaque, principalmente durante este fim de semana, com grandes campanhas para se socorrer as crianças vitímas de pobreza, muitas delas tendo na escola a única refeição quente, mas uma pobreza ainda pior é a solidão provocada pelas máquinas, que prendem os jovens cada vez mais em casa agarradas aos computadores e aos jogos; já não sabem conviver, brincar e, o pior já não são capazes de escrever uma frase por causa das sms e faces. É triste, mas é a pura realidade. Muito obrigada, amiga pela reflexão que aqui deixas e um bom fim de semana
    Beijinhos
    Emília

    ResponderExcluir
  3. Belo, excitantemente belo e para uma profunda. reflexão

    ResponderExcluir
  4. Me temo que el tedio será el ganador. No creo que estemos tocando las nubes con tantos avances tecnológicos, sino que estamos condenados como Sísifo a gastar nuestros días sin sentido en una maraña ficticia en la que nos dejamos atrapar.

    Tengo una pequeña esperanza, que sintamos que ha llegado el momento de dedicarnos a evolucionar desde el interior. Una revolución de valores y de pensamientos o el abismo y el tedio nos aguarda cual Prometeos encadenados.

    Un beso,

    ResponderExcluir