27/11/2016

Associações livres


 
 


 
Nós não dominamos o nosso inconsciente
Sigmund Freud
 
Mudez há em demasia. Tantas línguas em tantas bocas desdentadas..., estarão,
ou foram emudecidas? Estará muda a minha, as vossas línguas? A Babel expandiu-se. A diversidade também.
A noite bateu asas, atravessou as janelas do corpo e foi pras calendas do mar...
 
 
Nós não somos o centro do Universo
Galileu
 
 
Paixão não mais! Mais dor, mais consciência de uma enorme pequenez; o que existe por trás dos olhos, quem sabe uma bola de fogo? O mar amarra suas
marés, embalsama a balsa que atravessa os bancos de areia; a chama se inflama, clama, reclama da brasa que se espalha sobre a cama.
Todos pó. Na ponta da língua a agulha que sangra o verbo falar. O vento sopra
frio anunciando a chegada de "novas" palavras, soltas e desconectadas:
sentimentos avulsos são postos à venda no mercado mundial.
Céu azul, marazul; diz-se também ser azul a cor da tristeza, a cor da fome!
Pois não já disseram lá de cima, que a Terra é azul ? A romã não é romana, o
acaso por aqui é raro, por lá é corriqueiro. "Se você tem mais medo da mudança do que da desgraça, o que fará para evitar a desgraça?"
O pensamento é mais rápido do que a velocidade da luz. Glosa, glossário, verbete, palavrário, palavraria: denominações subjetivas - transfugir, transfundir? Transfusão ou confusão? Atresia, oclusão da voz, do verbo...!?


Um comentário:

  1. Muchas veces tenemos que parar la noria. Apagar el ruido,que no deja que nos escuchemos, supender el sufrimiento... Encontrar los deseos perdidos, elegir entre la montaña de anhelos alguno que nos devuelva la pasión...Hacer una pasusa para cambiar el rumbo.

    En este planeta azul todavía tenemos la capacidad de soñar, pese a todo, y repintar el corazón de rojo, y podemos reinventarnos aunque para ello tengamos que cargar con la incertidumbre.

    Mejor la incertidumbre que el hastío.

    Ay, Cirandeira, me haces reflexionar y disfrutar al mismo tiempo. Gracias.

    Un montón de besos,

    ResponderExcluir