09/03/2015

Curto circuito




da janela escura de uns olhos esverdeados escorreu uma gota de sal líquido que foi deslizando sobre a pele rugosa de uma serpente abrindo fendas sulcando vasos esgarçando tecidos deformando traços e contornos.
- ó criatura esdrúxula, por que tantos atavios, tantos atalhos? cairias bem num poço de sonhos ou de sombras para quem sabe encontrar o sol, quem sabe a lua?
No meio da noite após um dia inteiro sem emitir uma palavra, um som para ouvir. Do absoluto silêncio caiu uma palavra e estatelou-se no chão.

2 comentários:

  1. IMAGEN DE UN SILENCIO PROFUNDO.
    ABRAZOS

    ResponderExcluir
  2. Belíssimo, Ci!
    Palavras que estatelam-se ao chão mesmo antes de quebrarmos o silêncio. Quanta poesia, minha amiga e rainha dos mais empolgantes layouts da blogosfera, falo sério, viu? [risos]
    Beijos, querida!!!

    ResponderExcluir