05/02/2012

Escritos de Paul Valéry (Trechos)

No poeta:

A orelha fala,

A boca escuta;

É a inteligência, o despertar, quem procria e sonha;

É o sonho quem vê claro;

É a imagem e o fantasma quem olha,

É a falta e a lacuna quem cria.

Littérature, 1929

Emquanto o interesse pela prosa é exterior a ela mesma e nasce do consumo do texto, na poesia o interesse não o abandona nem dele pode se afastar.

A poesia é uma supervivência.

Numa época de simplificação da linguagem, alteração das formas, insensibilidade a respeito delas e especialização, a Poesia é coisa preservada. Quero dizer com isso que não se inventariam os versos hoje. Nem, por outro lado, ritos de qualquer espécie.

Littérature, 1929

A ideia de Inspiração contém: O que nada custa é o que tem maior valor. O que tem maior valor nada deve custar.

E também: Glorifica-se o máximo aquilo do que menos responsável se é.

Littérature, 1929


Ambroise-Paul-Toussaint-Jules Valéry, Sète, França (1871-1945)

7 comentários:

  1. Ci,
    Gostei muito do post. Mas, apesar da minha rendição, há sempre algo em mim avesso a definições, a catálogos. Para mim a poesia é um estado de espírito, e isso basta-me.

    Beijo :)

    ResponderExcluir
  2. Meu querido Agostinho, todos temos direito a nossos avessos, por quê
    não o terias? O mar é imenso, o firmamento é infinito e abriga estrelas de todas as grandezas! Eu apenas repercuto através do blog
    textos que considero interessantes,
    sem nenhuma outra pretensão :))

    beijos

    ResponderExcluir
  3. Ci, além de muito sensível, como você é culta, guria!!!!
    Beijosss

    ResponderExcluir
  4. Não sei se sou culta, Lê, mas que
    sou curiosa e adoooro ler, ah, isso
    SIM!

    beijosss

    ResponderExcluir
  5. Estes não conhecia.
    Obrigado.

    Saudações poéticas.

    ResponderExcluir