05/12/2012

A beleza





NUMA CERTA cidade o arco-íris apareceu e nunca mais se foi embora. Durante um ano permaneceu no mesmo sítio do céu. Tornou-se aborrecido.
Um dia, finalmente, o arco-íris desapareceu e o céu ficou cinzento escuro por completo. As crianças dessa cidade, excitadas, apontavam para o céu cinzento e gritavam uns para os outros: olha, que bonito!
 
 
 
Liberdade de escolha
 
 
ERA UMA  livraria que vendia um único livro. Havia cem mil exemplares numerados do mesmo livro. Como em qualquer outra livraria os compradores demoravam-se, hesitando no número a escolher.
 
 
 
Gonçalo M. Tavares,  (Angola, 1970-   ), em O Senhor Brecht - Casa da Palavra.

5 comentários:

  1. HAY BELLEZAS QUE SE SOSTIENEN SÓLO EN NOSOTROS. EXCELENTE POST.
    UN ABRAZO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todo en demasia es aborrido, no? Hasta la beleza!!!

      un abrazo

      Excluir
  2. cirandeira,
    conheço cozinheiros que cozinham sempre - e bem -o mesmo prato.
    sempre que entro em nova york (e ela está a 11 minutos do meu escritório) vejo-a com os mesmos olhos.
    estes mesmos olhos vermelhos que ganham brilho, e brilham todas as vezes que beijam ouro preto.

    eu acho que entendi o texto do gonçalo m. tavares.
    acho.

    beijão,
    r.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que às vezes, por força de não haver
      outra opção, acabamos "inventando" uma escolha que, na realidade, não existe :)

      beijos

      Excluir
  3. A beleza está na mudança também. E a gente cansa da mesma perpectiva. As estações do ano parecem saber disso...rs Gostei muito.

    Beijos, Ci.

    ResponderExcluir