17/08/2012

Os dias


Sobre as águas de um rio onde vareiros
silenciaram suas mágoas.
Sobre outro rio cantado por lavadeiras,
e o riozinho proclamado
pelos buritizeiros,
sobre os brejos sem nome
onde os riachos começam,
sobre todas as águas
o espírito perene.
Sobre o espírito das águas
que memoram os dias,
sobre um rio perdido onde os bichos do mato
beberam o fim da tarde,
sobre um vale pastoral onde os rios pensam
sobre a música da vida
dos rios reduzidos a um nome,
PARNAÍBA
sobre os rios plenos,
os dias consumados.
H. Dobal, Teresina (PI) - 1927-2008

6 comentários:

  1. LOS RÍOS TIENEN SUS PROPIAS VOCES. EXCELENTÍSIMO POST.
    UN ABRAZO

    ResponderExcluir
  2. que vontade de molhar os pézinhos. e quem sabe a alma inteira...

    ResponderExcluir
  3. Vou junto hidratar a vida :)

    Beijoss, Ci.

    ResponderExcluir
  4. Ci, você bem que podia tirar o verificador de letras dos comentários.
    Só acertei na terceira tentativa.
    E eu não sou um robô. Não sou!!!! :)

    Beijoss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ô Lê, não sabia que estava dando problemas, isso é coisa do blogger, não pedí pra eles fazerem essa fuleragem com meus amigos não! Vou ver o que posso fazer...!

      beijosss

      Excluir