22/12/2010

Poema de amor




Eu habito em você e você em mim

Somos dois jardins assombrados pelo outro

Às vezes não consigo encontrar você alí

Há somente o balanço rangendo

logo após sua partida,

ou seu livro favorito atrás do relógio de sol



Douglas Dunn - Escócia, 1942

6 comentários:

  1. Há assombrações desejáveis... :)

    Beijo :)

    ResponderExcluir
  2. O simples, o frugal,... são o que há de melhor, por isso estão cada dia mais raros...!

    ResponderExcluir
  3. E como existem assombrações desejáveis...principalmente porque são criadas
    por nossa rica imaginação, e aí podemos nos
    assombrar à nossa imagem e semelhança....:) kkk

    beijo

    ResponderExcluir
  4. Querida Ci, para você que faz esses blogs girarem como se estivessem de mãos dadas, um feliz natal e um ano-novo muito muito bacanas :)
    beijos, querida amiga

    ResponderExcluir